terça-feira, 3 de maio de 2011

O amargo sabor do açúcar - 8ª parte

Dante marcou um encontro com Júnior numa praça que fica no centro da cidade. Precisavam conversar.
- Júnior, eu contei tudo para minha mãe.
- O quê? Como assim? Por quê?
- Ela viu uma conversa minha pela internet com um amigo e esse amigo perguntou se eu gostei de ficar com você. Só que nessa hora eu não estava na frente do computador!
- Poxa, gato, que droga! Nem sei o que dizer a você! - disse Júnior.
- Não diz nada, só me abraça! Eu preciso de um pouco de carinho!
Dante e Júnior se abraçaram por alguns instantes. Algumas horas depois, Dante voltou pra casa a pedido de Bruna. Precisavam continuar a conversa que tiveram mais cedo.
Bruna falou que não vai deixar de amá-lo por causa disso, que essa opção que escolheu traria algumas conseqüencias negativas e muitas outras coisas. Aquele velho papo de mãe.
- Vamos ter que contar para seu pai e seus irmãos. - disse Bruna.
- Nem pensar! Isso é uma coisa que diz respeito a mim e quanto menos gente estiver envolvida nessa história, melhor vai ser pra mim! - Dante começou a ficar bravo.
- Mas isso envolve eles! Eles precisam saber e vão saber! - respondeu Bruna.
- Ah, mãe! Cansei de discutir! Faça como quiser!
Na manhã seguinte, Bruna comunicou a Dante que havia contado a Hélio, Otávio e Jonas sobre a orientação sexual do filho do meio. Antes que Bruna pudesse concluir sua fala, Dante foi logo dizendo que iria sair de casa.
- Calma, Dante! O que eu tenho pra dizer é que seu pai e seus irmãos disseram não se importar com isso, porque o que você faz na sua intimidade é problema seu. A única coisa que você não pode, segundo eles e eu também, é mudar de caráter, ser uma pessoa má e vulgar. Meu filho, as pessoas homossexuais sofrem muito, portanto, você terá que ser o melhor em tudo o que você fizer para impressionar os outros e mostrar que opção sexual nada tem a ver com competência!
As palavra de Bruna acalmaram Dante de forma que ele deu um abraço bem apertado na mãe, seguido de um beijo cheio de amor.

3 comentários:

  1. Orgulho dessa mãe! Belas palavras!!

    ResponderExcluir
  2. [aaa] que fofo, to adorando a história;
    Pedro manda muito bem nas palavras ;D

    ResponderExcluir